Qualidade de vida no trabalho.

ASAA

Qualidade de vida no trabalho está diretamente ligada ao nível de felicidade ou insatisfação com a própria carreira. Pesquisas apontam que aqueles que exercem suas atividades em sua carreira com prazer têm uma alta qualidade de vida no trabalho, em contrapartida aqueles que estão insatisfeitos ou infelizes e de alguma forma não conseguem preencher suas necessidades, são considerados com baixa qualidade de vida no trabalho.
Um funcionário que se sente valorizado e considera suas tarefas importantes será muito mais feliz e produtivo ao exercer suas funções do que aquele que está desmotivado. No entanto, nem tudo cabe à empresa: é possível trabalhar individualmente para melhorar a satisfação com o emprego. Considere então as dicas apresentadas a seguir.
A preocupação com a qualidade de vida é um fator em ascensão no âmbito organizacional. Inúmeros fatores externos permeiam o trabalho das pessoas. Os programas de qualidade de vida podem ser de vital importância para o desenvolvimento pessoal e profissional de seus colaboradores, bem como com o desenvolvimento eficaz das organizações.
As empresas procuram hoje qualidade de vida no trabalho, na esperança de promover um envolvimento e motivação do ambiente e proporcionar assim um aumento da produtividade, além disso, a atividade física, no âmbito da empresa é uma questão relacionada à promoção de saúde, não apenas como ausência de doença, mas como estado completo de bem-estar físico, mental e social.
Afinal, se “o trabalho dignifica o homem”, como uma vez disse o intelectual alemão Max Webber, então a satisfação com o trabalho é capaz de potencializar esses benefícios. Se mesmo com todas essas dicas, você não alcançar a satisfação pretendida com o emprego, não hesite em fugir dos problemas e procurar algo que seja mais adequado ao seu perfil. A boa notícia é que a iniciativa cabe apenas a você