A sua marca tem cheiro de quê?

cheiro

Imagine entrar numa loja para comprar um biquíni ou uma sunga e sentir um cheiro que lhe lembre a praia! Ou então comprar um carro seminovo e sentir o cheiro de carro novo dentro dele! Parece surreal? Mas não é!
São apenas dois pequenos exemplos de estratégias de Marketing Olfativo, uma ferramenta de encantamento de clientes que está cada vez mais em alta.
“Há quinze anos, quando iniciamos no mercado, poucas empresas sabiam do que se tratava, e eram bastante titubeantes ao pensar em jogar ‘perfume’ no ar. Hoje, é uma tendência quase que obrigatória para quem quer se destacar no mercado.”, afirma Muriel Kampf, diretor comercial da ASAA Aromas da Natureza, empresa especializada em aromatização de ambientes e desenvolvimento de estratégias de Marketing Olfativo.
A técnica de usar o cheiro para encantar cliente torna-se ainda mais certeira quando tomamos ciência de estudos feitos no passado que dizem que o olfato é nosso sentido mais aguçado. O ser humano é capaz de lembrar-se de 35% dos aromas que sente, ante 5% do que vê e 1% do que toca.
A criação do aroma passa por uma série de premissas antes de ser decidido. O aroma escolhido deve estar aliado à iluminação, ao produto, ao slogan, ao nome, ao público alvo e – principalmente – às estratégias de marketing da empresa.
Muito utilizado na Europa, nos Estados Unidos e em outros países desenvolvidos, o marketing olfativo é uma técnica muito eficiente devido à relação direta existente entre o olfato e a área do nosso cérebro relacionada às emoções, portanto a probabilidade de um cliente retornar à um estabelecimento que tenha um cheiro agradável ou lhe faça lembrar algo bom é bem maior do que uma outra que não conte com esse recurso.
As possibilidades de ganho com a inserção de um aroma no estabelecimento são diversas: aumentam as vendas dos produtos, criam sensações, memorizam a marca, fazem com que o cliente fique mais tempo dentro da loja e, consequentemente, compre mais, etc.
É importante, contudo, que a busca pela empresa para fazer a aromatização seja criteriosa. É preciso muito cuidado para que o aroma não seja enjoativo, forte ou fraco demais, ou ainda que não caiba dentro do ambiente do estabelecimento.